Fazer Orçamento

X

Faça agora um orçamento gratuito

*Entrega exclusiva para Minas Gerais

Resistência do solo para construção X tipos de fundação

O conhecimento sobre a resistência do solo para construção é fundamental para determinar o tipo de fundação e outros elementos da obra. Ela está relacionada ao tipo predominante de solo presente no terreno.

Junto a outros elementos, a resistência do solo para construção é conhecida a partir de uma análise do solo, que deve ser realizada por profissionais especializados. Esse procedimento garante a segurança e estabilidade da obra, tanto em sua execução quanto após sua concretização. A seguir vamos esclarecer sobre o assunto.

A resistência do solo para construção e outros elementos de análise geológica

O tipo de fundação é uma escolha de peso para a obra, que pode inclusive revelar sobre a viabilidade do empreendimento. A fundação e estrutura mais adequadas são definidas a partir da análise do terreno que considera a carga da construção, o nível do lençol freático, a composição e a resistência do solo para construção.

Portanto, não é apenas a resistência que precisa ser averiguada, até porque ela é consequência de outras características geológicas do local. Podemos dizer, de maneira simplificada, que quanto “menor” a resistência, mais profunda precisa ser a fundação.

Se pensarmos na resistência como densidade, é a quantidade de areia da composição do terreno que irá definir o quanto ele é resistente: quanto mais arenoso o solo, menos resistente será. Contudo, isso não é tão simples de avaliar. Para que a obra esteja dentro das regras, é preciso seguir a norma NBR-15.492, que exige números mínimos de ensaios de sondagem conforme a área do terreno. 

Tipo de fundação ideal para cada tipo de solo

Quando falamos em um tipo de solo, não quer dizer que todo o terreno seja homogêneo. Essa definição está relacionada ao composto predominante do solo. Sendo assim, os tipos de solo que são divididos em três categorias: arenoso, argiloso e siltoso. Vamos falar sobre o tipo de fundação indicada para cada um deles.

Solo arenoso

Como já comentamos, o solo arenoso tem pouca densidade, o que resulta em desafios para construção. A resistência do solo para construção, nesse caso, também é determinada pelo nível do lençol freático, que pode interferir em sua coesão.

Contudo, é preciso uma análise apurada do impacto da obra nesse tipo de terreno. As fundações mais indicadas nesse caso precisam ser profundas, com estacas de aço ou concreto armado que precisam ser muito resistentes, de modo a garantir a segurança da edificação.

Solo argiloso

O solo argiloso é predominante no relevo brasileiro. Ele pode ser denso ou viscoso, dependendo da umidade e presença de água do local. Sendo assim, a resistência do solo para construção, nesse caso, também é variável, embora mais estável que a do solo arenoso. É comum que as fundações nesse contexto sejam rasas, se necessário, com sapatas reforçadas pelo uso de radiers e, excepcionalmente, também com o uso de estacas.

Solo siltoso

O solo siltoso é considerado um intermediário entre o arenoso e o argiloso. Entretanto, é muito instável, por virar lama facilmente no contato com a água, inclusive por agentes externos. Sendo assim, suas fundações precisam ser profundas e com o uso de estacas para evitar sua movimentação.

De maneira simplificada, essas são as principais informações sobre a relação entre a resistência do solo para construção e o tipo de fundação ideal. É indispensável que em cada caso seja realizado um estudo apurado antes da construção para garantir a segurança do empreendimento e dos futuros moradores do local.

Continue se atualizando sobre os mais diversos assuntos relacionados à construção acompanhando a Galvaminas nas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *